Veneza – Itália

Veneza é uma cidade no nordeste da Itália formada por 118 pequenas ilhas, separadas por canais e ligadas por pontes.  Ela é a capital da região do Veneto, e foi uma grande potência marítima na Idade Média e durante o Renascimento. A “Cidade Flutuante” foi rica durante quase toda a sua história, e isso se deve ao fato de sempre ter sido um importante ponto comercial. Ela está localizada na pantanosa lagoa de Veneza e foi listada como Patrimônio da Humanidade pela UNESCO.

Veneza e seus Canais

Você pode chegar lá pela estação de trem Santa Lucia ou pelo Aeroporto Marco Polo. O jeito mais fácil de chegar é de trem, entretanto só vale a pena se você estiver vindo de outra cidade que também fica mais ao norte da Itália. A estação de trem está no arquipélago, ficando mais fácil a ida até o seu hotel, seja de Vaporetto (ônibus aquático), ou taxi-boat privado(mais caro). Desembarcando no aeroporto você terá diferentes opções, se quiser ir de taxi-boat terá que escolher entre privado ou compartilhado, a diferença aqui obviamente é o preço. Outra opção é o Waterbus, que tem paradas pré-estabelecidas desde o aeroporto. Se seu Hotel ficar perto de uma dessas paradas poderá valer a pena. A opção mais econômica é pegar um ônibus que te deixa próximo da estação Santa Lucia e de lá você pode pegar um Vaporetto ou mesmo ir andando.

Veneza com muita neblina

O clima é melhor durante os meses de verão, porém como o de costume, é também quando se encontra a maior concentração de turistas. No carnaval o número de turistas é igualmente grande pelo famoso e histórico Carnaval de Veneza. Mas se seu sonho não é ir num baile de máscaras durante o carnaval escolha entre os meses de setembro-outubro e abril-maio que parecem ter o melhor custo benefício. 

Torre do Relógio

Uma sempre infeliz possibilidade é a de ocorrer a Acqua Alta, quando a Veneza fica “embaixo da água” por algumas horas. Apesar dessa incomoda intercorrência, a cidade está preparada e rapidamente são montadas “pequenas passarelas” nas principais vias da cidade e muito provavelmente a recepção do seu Hotel lhe informará sobre isso. A inundação acontece com maior frequência durante os meses de Novembro e Dezembro. Nós fomos para Veneza em novembro, estava um pouco frio como já esperávamos, mas apesar de não presenciarmos nenhuma Acqua Alta, foram 3 dias de neblina com péssima visibilidade. Como sempre alertamos, essas coisas podem acontecer, e mesmo com planejamento o tempo muitas vezes é uma questão de sorte.

Falaremos agora das principais atrações de Veneza e nossa visão sobre o que vale a pena e o que é supervalorizado para você fazer seu roteiro da melhor forma possível.

Típica gôndola Veneziana

Passeio de Gôndola

O Passeio de Gôndola talvez seja um dos mais batidos da Europa, mas esse é mais um daqueles que não tem como ir até lá e não fazer. Entre os pontos negativos estão o fato de ser caro (em torno de 100 euros negociando com o gondoleiro um passeio de até 45 minutos), ser  totalmente turístico (atualmente as gôndolas só são usadas para o transporte de turistas), e hoje em dia são tantas gondola com turistas que o passeio não parece mais ser único como antigamente. Mas nem tudo é tão ruim, pois seu gondoleiro vai te explicar muitas coisas sobre Veneza, o passeio ainda é bastante romântico apesar dos pontos negativos e a sensação de andar de gôndola pelo Grand Canal e mais ainda pelas pequenos canais onde você pode tocar a parede das casas com mais de 400 anos de história é imperdível.

Ponte Rialto em reforma

Ponte di Rialto

É a ponte símbolo de Veneza, foi construída para as pessoas atravessassem o Grand Canal, primeiramente foi feita em madeira e após renovada em pedra. Tem pequenas lojas em todas sua extensão e aos arredores, formando um importante centro comercial da cidade. Quando fomos ela estava em reforma mas mesmo assim valeu a visita, principalmente para observar o vai e vem de barcos e gôndolas no Grand Canal.

Piazza São Marcos

Praça e Basílica de São Marcos

É uma das praças mais bonitas da Europa, e a Basílica também não fica atrás. Na Praça estão localizadas além da Basílica a Torre Veneziana, Palazzo Ducalle e a Torre do Relógio. É o centro turístico de Veneza e por ali você só encontra uma coisa em maior número que turistas, pombos. A igreja levou quase 800 anos para ser construída, e lá se encontra o corpo de São Marcos. A entrada é gratuita mas é proibido tirar fotos. A basílica esta em uma constante reforma, pois a pesada estrutura e o terreno pantanoso de Veneza, fazem com que o chão esteja sempre afundando sendo necessário obras estruturais.

Basílica de São Marcos com neblina e reforma

Torre Veneziana ou Campanário de São Marcos

Dessa torre enorme, de 99 metros de altura, você consegue ter uma vista 360˚ da cidade. Como o terraço é pequeno uma grande fila pode se formar em dias mais ensolarados. Em dias de pouca visibilidade a Torre não abre.

Campanário de São Marcos

Palazzo Ducale

O palácio foi sede do governo veneziano por 7 séculos. Desde os pequenos detalhes artísticos até os desenhos estruturais esse palácio é uma verdadeira obra-de-arte. 

Palazzo Ducale

Ponte dos Suspiros

Essa ponte liga o Palazzo Ducale ao prédio onde antigamente funcionava uma prisão. E ganhou esse nome porque os presidiários passavam por ali e suspiravam ao ver o mundo uma última vez. Pela história vale uma breve passada por ali.

Ponte dos suspiros

Basilica de Santa Maria della Salute

Conta-se que essa gigante basílica foi financiada, em forma de agradecimento, pelos sobreviventes da Peste Negra que assolou Veneza. Até hoje muitas pessoas enfermas procuram a igreja em busca da cura. Vale conferir.

Basílica de Santa Maria della Salute

Murano e Burano

Murano ganha a maior atenção pela fama dos seus cristais. Mas se você não liga para cristais e não está interessado em conhecer a produção destes, pode tirar Murano do seu roteiro. Buraco é famosa por suas rendas feitas à mão e pode ser um pouco mais encantadora com suas casinhas coloridas, mas se seu tempo é curto desista dessas ilhas. Não terá muito do que se arrepender.

Veneza pode ser a cidade mais encantadora do mundo, mas nós não vimos esse lado. Vimos uma cidade muito interessante sim, onde pessoas vivem em casas antigas e usam barcos ao invés de carros para irem trabalhar ou se divertir. Onde um passeio de gôndola pode ser incrível se ao mesmo tempo você esquecer o mau cheiro dos canais. Contando que a cidade está na lista das que podem desaparecer com o aumento do nível dos oceanos, toda viajante que vai ao norte da Itália deve considerar uma visita a Veneza, mas 2-3 dias estão mais que suficientes.

Famoso Passeio de gôndola

Extras:

  • Escolha um hotel próximo da estação de trem ou pelo menos a uma distancia que você consiga ir andando carregando suas malas. Isso pode gerar uma grande economia. Mas lembre-se que tuas malas de rodinhas não vão ajudar nada em Veneza, pois as calçadas de pedra e as 400 pontes da cidade vão fazer você sempre estar levando as malas na mão e não arrastando. Uma possibilidade é deixar a mala no quarda volume da estação de trem e levar em uma mochila ou mala de mão somente com o que precisar.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.